友情链接: 澳门威尼斯人娱乐平台 线上真人百家乐 澳门威尼斯人备用网址 威尼斯人娱乐 澳门威尼斯人官方网站 威尼斯人娱乐网站在线注册 威尼斯人网站 澳门威尼斯人官方网投地址 百家乐官方注册 威尼斯人正网 威尼斯人娱乐场官网 澳门威尼斯人会员注册 威尼斯人娱乐场注册 威尼斯人注册官网 百家乐娱乐场网站 澳门威尼斯人在线游戏 线上百家乐游戏 网上百家乐注册 百家乐手机网站 澳门百家乐官网 澳门威尼斯人娱乐场 威尼斯人网投 澳门百家乐赌博网站 威尼斯人手机网站 线上威尼斯人游戏 威尼斯人娱乐棋牌 正规赌博网站 威尼斯人线上娱乐 百家乐真人视讯 澳门威尼斯人赌城网站 澳门威尼斯人游戏 威尼斯人娱乐场网址 澳门威尼斯人注册 澳门威尼斯人真人赌场 澳门百家乐网站 澳门百家乐手机网站 澳门百家乐官网注册 澳门威尼斯人轮盘 澳门威尼斯人赌场网站 澳门威尼斯人线上娱乐 威尼斯人网址注册 百家乐网站 澳门百家乐备用网址 威尼斯人赌博平台 百家乐技巧网站 澳门百家乐正规官网 威尼斯人代理 威尼斯人线上赌博平台 百家乐手机注册 澳门正规网络博彩公司 澳门威尼斯人游戏官网 澳门威尼斯人线路检测 澳门威尼斯人角子机 澳门威尼斯人代理 澳门威尼斯人官方网投 威尼斯人官方平台 百家乐娱乐平台 澳门百家乐平台注册 威尼斯人会员注册 澳门威尼斯人博彩 百家乐正规官网 澳门威尼斯人官方注册 澳门百家乐真人视讯 威尼斯人百家乐网站 大香蕉成人网 香港六合资料

Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/storage/0/2e/be/apecs/public_html/index.php:80) in /home/storage/0/2e/be/apecs/public_html/libraries/joomla/session/session.php on line 658

Warning: session_start(): Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/storage/0/2e/be/apecs/public_html/index.php:80) in /home/storage/0/2e/be/apecs/public_html/libraries/joomla/session/session.php on line 658
Alerta no ar

Alerta no ar

Luiz Roberto Gravina Pladevall (*)

A evolução tecnológica não tem poupado a população de problemas há muito tempo presentes no nosso cotidiano.

A revolução industrial foi prodigiosa em novos métodos de manufatura, mas também contribuiu para aumentar a poluição atmosférica. Infelizmente, ainda convivemos com resquícios desse tempo, que trazem perdas para a saúde das pessoas. Um relato recente da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontou que 92% da população global vivem em regiões com níveis de qualidade do ar acima dos limites mínimos estabelecidos pela entidade.

Infelizmente, a poluição atmosférica persiste no país e está nos mesmos patamares de 2010, ano que o Brasil começou a implementar as metas com as quais se comprometeu em 2009, em Copenhague (COP 15). A proposta era cortar as emissões desses gases entre 36,1% a 38,9%. Dados recentes do Sistema de Estimativa de Emissão de Gases de Efeito Estufa (SEEG), do Observatório do Clima, mostram crescimento de 3,5% na emissão de gases do efeito estufa em 2015 em relação a 2014.

O resultado dessa exposição frequente causa aproximadamente 3 milhões de mortes anuais, sendo 90% desses óbitos registrados em países de baixa e média renda. O documento da OMS afirma ainda que 92% das mortes são provocadas por doenças não comunicáveis como cardiovasculares, derrame, doença obstrutiva pulmonar crônica e câncer do pulmão. O ar poluído afeta principalmente populações mais vulneráveis como crianças e idosos e também aumenta os riscos de infecções respiratórias graves.

Os sistemas de transporte ineficientes, combustível doméstico e queima de resíduos, usinas de energias movidas a carvão e atividades industriais em geral são as principais fontes de poluição apontadas pelo estudo da OMS.

No Brasil, os efeitos da poluição têm como referência pesquisas realizadas com a orientação do professor Paulo Saldiva, do Departamento de Patologia da Universidade de São Paulo (USP). Segundo estudos realizados na cidade de São Paulo, se tivéssemos uma redução de 10% da poluição na capital paulista, poderíamos ter evitado 114 mil mortes por doenças respiratórias e cardiovasculares entre os anos 2000 e 2020.

O município, por exemplo, tem instrumentos que podem reverter esse panorama nos próximos anos. A Lei de Mudanças Climáticas da Cidade de São Paulo, por exemplo, que entrou em vigor em julho de 2009, estabeleceu medidas para reduzir em 30% as emissões de poluentes atmosféricos para os quatro anos consecutivos do início da lei. Infelizmente, muito pouco foi adotado até o momento. Uma das regras da nova legislação previa a troca dos veículos do transporte público movidos a diesel por ônibus com fontes energéticas sustentáveis.

Precisamos enfrentar a poluição do ar como um problema grave, principalmente nas regiões metropolitanas do país. As condições atmosféricas são causadoras de graves problemas de saúde. Melhorar a qualidade do ar, é investir em prevenção e redução do gasto com tratamento de milhares de brasileiros.

(*) Luiz Roberto Gravina Pladevall é presidente da Apecs (Associação Paulista de Empresas de Consultoria e Serviços em Saneamento e Meio Ambiente) e membro da Diretoria da ABES-SP (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental).

Informações Clipping

 

Confira o clipping das notícias da Apecs.

Basta digitar www.mjournal.net.br/apecs 

 

Contato

Rua Rego Freitas,289- 6º Andar Sala 61 Vila Buarque CEP:01220-010:
apecs@apecs.com.br
  +11 3221 5554
  +11 3333 4327
  São Paulo - SP